Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos

Dores de cabeça, estomacais ou um mero resfriado! Para se ver livre de contratempos como esses, muita gente lança mão de remédios sem prescrição médica. E quem nunca pediu orientação de medicação a um amigo ou familiar para o alívio imediato de algum outro sintoma indesejado? A resposta vem na ponta da língua: quem tem dor, tem pressa. Mas os riscos são grandes.

Segundo levantamento feito pelo Instituto de Ciência Tecnologia e Qualidade (ICTQ), que entrevistou 1.480 pessoas de 12 capitais brasileiras, a automedicação é praticada por 76,4% dos brasileiros. Entre os que adotam essa prática, 32% têm o hábito de aumentar as doses de medicamentos prescritos por médicos com o objetivo de "potencializar os efeitos terapêuticos", o que também é considerado uma forma de automedicação.

O estudo afirma ainda que 61,4% das pessoas que se automedicam estão conscientes sobre os riscos. Apesar da importância das campanhas de conscientização, a medida mais efetiva para coibir a prática é a adoção de um controle de vendas mais rígido. Segundo os dados coletados pelo ICTQ, existe uma tendência de diminuição do consumo irregular de medicamentos controlados desde que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) passou a exigir a retenção da segunda via da receita dessa categoria de remédios.

Para o Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos, celebrado neste sábado (05), o Neolab reforça e orienta a população a denunciar essa prática ilegal e buscar os meios corretos de tratar qualquer mal-estar, em busca de orientações de especialistas.