Febre Amarela

Novos casos de Febre Amarela deixam os brasileiros novamente em alerta e, principalmente, a Zona da Mata Mineira, que já registra um óbito em Mar de Espanha e outros casos sob investigação em Goianá e Barra Longa. 

No surto que ocorreu entre dezembro de 2016 e junho de 2017 foram confirmados 777 casos e 261 óbitos por febre amarela. Contabilizando a maior transmissão da doença das últimas décadas. A Região Sudeste concentrou a grande maioria das notificações, com 764 casos confirmados. Desde julho  de 2017 já são seis óbitos pela Febre Amarela em Minas Gerais, com mais 10 casos sob investigação.

O Neolab quer tirar as suas dúvidas sobre a doença. Confira algumas informações:

Quando se manifesta em um indivíduo, na maioria das vezes é benigna e melhora naturalmente após alguns dias.

Mas não é possível prever isso, cerca de 15% dos casos evolui para complicações severas. É entre 24 e 48 horas após a aparente melhora que ela se intensifica, gerando complicações hemorrágicas e comprometimento dos rins e fígado.

Um diagnóstico preciso é feito através de exames de sangue tradicionais ou de exames moleculares de DNA. Só os sintomas aparentes não possibilitam um diagnóstico, visto que outras doenças surgem com os mesmos sintomas, como é o caso da dengue e da malária.

A forma mais eficaz de prevenção é a imunização através da vacina. Que após de 10 dias da aplicação tem uma eficácia de 100%.