Intolerância à lactose x alergia ao leite: entenda as diferenças de cada uma

Intolerância à lactose e alergia ao leite não são sinônimos. A primeira é uma deficiência do organismo na produção da lactase, enzima capaz de quebrar e digerir a lactose, também conhecida como o “açúcar do leite”. Já a alergia depende de mecanismos imunológicos, e é considerada mais perigosa porque pode levar à morte nos casos mais graves.

De acordo com o Ministério da Saúde, a intolerância à lactose afeta cerca de 40% dos brasileiros. Os principais sintomas são diarreia, dores, inchaços abdominais e gases. A doença se manifesta em três tipos: a congênita, quando o bebê já nasce com a deficiência na produção de lactase; a primária ou genética, mais comum na população, com ausência parcial ou total da lactase; e, ainda, a secundária ou adquirida, que ocorre como resultado de lesões no intestino delgado ou de doenças como desnutrição, cólica ulcerativa e também quimioterapia.

A alergia ao leite pode apresentar sintomas digestivos (vômitos, cólicas, diarreia, dor abdominal, prisão de ventre, presença de sangue nas fezes, refluxo), cutâneos (urticária, dermatite atópica de moderada a grave), respiratórios (asma, chiado no peito e rinite), reação anafilática, baixo ganho de peso e crescimento. Podem ocorrer em minutos, horas ou dias após a ingestão de leite de vaca ou derivados, de forma persistente ou repetitiva.

 

O diagnóstico

O diagnóstico das doenças é feitos por meio de exames laboratoriais solicitados por médicos pediatras ou gastroenterologistas. No caso da intolerância, o exame mais comum é feito a partir da ingestão de um líquido à base de lactose. “Fazemos uma coleta de sangue com o paciente em jejum. Depois, ele bebe o líquido e colhemos o sangue novamente, após 30 e 60 minutos da ingestão”, explica o farmacêutico bioquímico do Neolab Marcelo Martins. Outro teste mostra a predisposição genética à intolerância, e pode ser feito colhendo o sangue da pessoa apenas uma vez.

No caso da alergia ao leite, o diagnóstico é feito por um exame laboratorial que dosa a quantidade de imunoglobulina E (IgE), anticorpo responsável pelas reações alérgicas.  “Fazer os exames para diagnosticar as doenças é importante e traz mais qualidade de vida para o paciente”, conclui Marcelo.

 

Ligue para o Neolab e saiba mais sobre os exames: (32) 3212-0174 / (32) 3216-1797